Início » Ingredientes » Conservantes classificados como emolientes para apelo “paraben free”
ANÚNCIO

A adição de preservantes ou conservantes no produto final está vinculada às possíveis “dores de cabeça”, pois dependendo das condições do ambiente, uma contaminação microbiológica pode parar uma linha de produção inteira.

Com essa preocupação em mente, desde o planejamento do desenvolvimento de um produto, é essencial e vital estudar as possibilidades de agentes que serão utilizados e a eficácia do sistema conservante que iremos utilizar nos produtos através do challenge test, ou teste de desafio, o qual avalia se o sistema preservante é eficaz ou não.

A função principal dos preservantes, neste caso, é a prevenção ou inibição do crescimento microbiano no produto final e o intuito é divulgar as opções que são classificadas com outras funções e possuem ação microbicida ou microstática.

Cosméticos verdes e alternativas para sistemas conservantes com emolientes
Emolientes da família dos glicóis são alternativas para sistemas conservantes.
Foto: stockimages / FreeDigitalPhotos.net

Quais os fatores para escolha do sistema conservante?

Os fatores que afetam a escolha de um conservante são:

  • Propriedades do agente químico;
  • Challenge test;
  • Aplicação pretendida;
  • Fatores ambientais;
  • Toxicidade do agente químico.

A não utilização dos preservantes pode acarretar uma série de danos, tais como:

  • Infecção em consumidores e entre outros;
  • Recall de produtos;
  • Risco para o negócio (declínio da marca).

A pesquisa e implantação das alternativas disponíveis hoje no mercado, é devido às limitações/restrições das concentrações preconizadas pelos órgãos regulamentadores e riscos que podem causar à saúde dos consumidores.

As “abordagens alternativas” devem centrar-se na criação como hostil e autopreservação de um ambiente como possível há muitas alternativas de ingredientes disponíveis no mercado.  A maioria de aplicabilidade exclusiva, porém limitada.

Algumas moléculas de composição orgânica glicóis, além de serem classificadas como emolientes no sistema COSING, dependendo da porcentagem de adição no produto cosmético, contém eficácia preservante.

A estrutura química dos glicóis, também chamados de dióis, são 2 hidroxilas (OH) ligadas à carbonos (C) separados e sua origem é a reação de glicerina com um álcool.

As alternativas disponíveis no mercado

Os grupos funcionais que encontramos nas moléculas são éter, éster, diol, amida e ácido. Mas há uma característica estrutural de todos estes exemplos têm em comum: o tamanho e a relativa proporção polar e apolar dentro da molécula.

Incluímos outras moléculas e extratos com função preservante para que sejam estudados. São elas:

INGREDIENTE INCI FUNÇÃO

(CosIng)

Caprilil glicol Caprylyl Glycol Emoliente

Condicionamento do cabelo

Umectante

Condicionamento da pele

Caprilato de Glicerila Glyceryl caprylate Emoliente

Emulsificante

Etil hexil glicerina Ethylhexylglycerin Condicionamento da pele
Extrato de Lonicera Lonicera Caprifolium flower extract / Lonicera Japonica flower extract Adstringente

Mascarante / Condicionamento da pele

1,2 Hexanodiol 1,2-Hexanediol Solvente
Ácido Capril hidroxiamico Caprylhydroxamic Acid Quelante
Álcool fenetílico Phenethyl Alcohol Mascarante
Lauroyl lactilato de sódio Sodium Lauroyl Lactylate Emulsificante
Levulinato de sódio Sodium Levulinate Condicionamento da pele
Capriloil glicina Capryloyl Glycine Limpeza

Condicionamento do cabelo

surfactante

Os produtos citados possuem ação antimicrobiana devido à sua estrutura que pode penetrar e destruir a integridade das membranas dos microrganismos, tais como os indicador pela Associação Brasileira de Cosmetologia, Colipa, CTFA (Cosmetic Toiletry and Fragrance Association) e USP (United States Pharmacopeia): Pseudomonas aeruginosa, Staphylococcus aureus, Escherichia coli, Candida albicans e Aspergillus niger

Cada molécula ou mistura contém uma sinergia com a formulação à ser aplicada, portanto, a substituição envolve novos estudos de challenge test e estabilidade.

O mercado de preservantes cosméticos contra crescimento microbiano vai continuar com regulamentos de acordo com a percepção de mercado e pesquisas, portanto continuará a conduzir escolhas de conservantes convencionais, particularmente, como mais estudos serão publicados não há convencional ou alternativa conservante “Santo Graal”.

Referências:
Fonte de dados dos preservantes alternativos conforme literatura dos fornecedores
Artigo sobre a Lonicera
João Victor Dalaneze

João Victor Dalaneze

Redator
Químico e Especialista em produtos capilares pelo Instituto Manchester Paulista de Ensino Superior do grupo Veris Faculdades. Especialista em Legislação Ambiental e Sanitária pelo SENAC/SP. Pós-graduado em Gerenciamento de Projetos pelo SENAC/SP e MBA em Cosmetologia pelo IPUPO.

Todos os textos

ANÚNCIO

ANÚNCIO

ANÚNCIO