Glúten em cosméticos

ANÚNCIO

Tenho notado um monte de referências a produtos cosméticos sem glúten. Embora ele não seja um problema de saúde para a maioria de nós, ele tem sido muito falado há um bom tempo.

O glúten resulta da mistura de proteínas que se encontram naturalmente no endosperma da semente de cereais da família das gramíneas (Poaceae), subfamília Pooideae, principalmente das espécies da tribo Triticeae, como o trigo, cevada, triticale e centeio. Esses cereais são compostos por cerca de 40-70% de amido, 1-5% de lipídios, e 7-15% de proteínas (gliadina, glutenina, albumina e globulina). Por sua estrutura bioquímica, esse tipo de glúten é, muitas vezes, denominado “glúten triticeae”, e popularmente conhecido como “glúten de trigo”.

Fonte: Wikipedia.

As dietas sem glúten já tiveram seu auge há alguns anos. O glúten é encontrado em alimentos processados ​​a partir de trigo, mas como ignoram isso e falam como se fosse um ingrediente amplamente usado em cosméticos?

fatias de diferentes tipos de pães integrais que são sem glúten

O glúten é o resultado do processamento de alguns grãos.
Foto: Freepik.com

Há glúten nos cosméticos?

De modo geral, não. Primeiramente, vamos deixar de lado o fato de que o glúten como glúten simplesmente não é usado em cosméticos. Eu tenho um banco de dados de mais de 6.000 matérias-primas que são usados ​​em cosméticos que venho construindo há mais de 20 anos. O glúten não está na lista. Existem alguns ingredientes que são derivados de trigo e seus semelhantes, que poderiam apenas conter vestígios de glúten neles. Mas ainda assim, não são tão amplamente utilizados.

Para todos os efeitos práticos você pode considerar cosméticos como sem glúten. Este é um fato que é muito fácil de verificar, porque se eles contivessem glúten, ele estaria na lista de ingredientes. Não há um INCI internacionalmente reconhecido para o glúten em si – como eu disse,  não acredito que ele seja usado como ingrediente – mas seus derivados têm nomes como “glúten de trigo hidrolisado” (Hydrolized Wheat Gluten).

Em qualquer caso, como você não come cosméticos é improvável que eles fariam sofredores de intolerância ao glúten qualquer dano, mesmo se eles contêm derivados de glúten.

Acho que alguém em algum lugar está esperando para ganhar algum dinheiro com uma história amedrontadora. Cuidado com seus bolsos!

Mais sobre a intolerância ao glúten

A intolerância ao glúten está surpreendentemente generalizada. Existe uma condição chamada doença celíaca, onde o glúten na dieta interfere na capacidade do intestino em absorver adequadamente os alimentos. Dado que o glúten é encontrado na maioria dos grãos, um grande problema para os doentes é encontrar fontes adequadas de carboidratos na alimentação. Algumas estimativas colocam a incidência de doença celíaca tão alta como 1% da população. Isso é um monte de gente por isso é um problema muito real.

Mas, felizmente, não há nenhuma necessidade especial para essas pessoas se preocuparem com seus produtos de cuidados pessoais. O glúten é uma grande molécula que não vai passar pela pele intacta (saudável). Ele poderia passar através de poros e cortes na pele, mas que é um portão muito estreito para ele se espremer. Outra vez, uma molécula grande assim somente se difundiria até a de modo muito lento. De qualquer forma, eu ficaria surpreso se houvesse muita absorção mesmo se você cobrisse toda sua pele com glúten puro.

Relembre nesse texto o que o Cosmética em Foco já falou sobre absorção e penetração de moléculas pela pele.

Mesmo que alguma molécula de glúten tenha entrado de alguma forma na corrente sanguínea, é muito improvável que cause algum dano. Porque as evidências apontam que o perigo do glúten aos doentes celíacos existe quando ele é transformado no próprio intestino. Então, se ele vai direto para o sangue, como seria se fosse absorvido pela pele, provavelmente não haveria efeito. Estamos falando altamente teórico aqui.

Seja qual for o caso, como já foi dito, provavelmente 99% dos produtos cosméticos e de cuidados pessoais não terão glúten em qualquer forma.

Mas e os ingredientes derivados de trigo?

Existem alguns agentes condicionantes que são derivados de trigo, aveia e cevada. As matérias-primas a partir das quais estes materiais são feitos podem conter glúten. Mas não parece muito provável que qualquer um sobreviveria ao processamento pelo qual esses materiais passam antes de se tornarem matérias-primas viáveis para uso.

Se você não se convenceu, a maioria dos ingredientes derivados de trigo e outras fontes de glúten têm nomenclatura que deixa sua origem bastante clara. Então se você tem essa condição e não quer correr o risco, você pode olhar para a lista de ingredientes e evitar produtos que contenham algum derivado de trigo (wheat), cevada (barley) ou centeio (rye). Ainda assim você terá muita escolha de produtos muito bons e isso não precisa afetar sua vida negativamente.

Cosméticos sem glúten

De tudo, fórmulas especificamente de cosméticos sem glúten não soa como algo que o mundo realmente precise. Mas curiosamente há alguns anos uma pessoa discutindo o assunto no Twitter, relatou que ela mesma teve reação cutânea a um produto contendo glúten. Fiquei intrigado e perguntei-lhe o nome do produto. Eu também estava bastante interessado em saber como ela sabia que era o glúten que estava reagindo, e de fato como ela sabia que havia glúten no produto em primeiro lugar. Eu poderia ter entrado em contato com o fabricante do produto.

Até hoje a pessoa não me respondeu, mas notei que ela tem um site onde vende suplementos nutricionais sem glúten. Não seria relevante esclarecer a seus clientes que não precisam se preocupar com cosméticos sem glúten?

Após tudo o que fora exposto acima, para a grande maioria das pessoas, cosméticos sem glúten não deveriam fazer o menor sentido. A menos que se tenha um problema específico com glúten não há nenhuma razão para procurar cosméticos sem glúten.

Uma outra forma de olhar para isso é se perguntar se produtos que contém derivados de trigo são mais propensos a causar reações cutâneas que outros ingredientes. Os produtos derivados de trigo podem ser facilmente substituídos por outros materiais com funções semelhantes. Portanto, se eles forem causadores de reações cutâneas mais do que outros ingredientes, é um caso para o SCCS (Scientific Committee on Consumer Safety) na União Europeia, que já publicou opinião sobre o tema (clique aqui para ler a Opinião SCCS sobre proteína hidrolizada do trigo em cosméticos, em inglês).

Antes de concluir o assunto aqui estão mais algumas definições para ajudar a esclarecer toda essa confusão criada sobre o tema.

grãos de arroz integral, arroz selvagem, milho e farinha de trigo espalhados sobre uma superfície de madeira.

Qualquer derivado de trigo e cevada contém glúten?
Foto: Freepik.com

Doença celíaca e alergia ao trigo

A doença celíaca é uma resposta específica ao glúten na dieta. É o resultado de uma reação do corpo a uma determinada proteína, que provoca uma reação alérgica. Por isso é um tipo muito particular de alergia alimentar. Os sintomas variam de pessoa para pessoa, mas podem incluir reações cutâneas. Uma das características das reações alérgicas é que elas podem desencadear reações em todo o corpo, mesmo que a causa tenha sido uma proteína no intestino, por exemplo. O contato com glúten na pele também pode desencadear sintomas mais gerais, mas é muito raro que isso aconteça dessa maneira. Imagina como seria uma mãe celíaca alimentar seu filho se ela sequer pudesse dar pedaços de pão ou biscoito ao seu bebê sem ter que usar luvas.

Mas os celíacos geralmente não precisam se preocupar com seus cosméticos. A Sociedade Celíaca Italiana tem advertido seus membros de que eles não precisam comprar cosméticos especiais. Traduzindo (obrigado Google!) do italiano:

“Eu queria saber se as pessoas com doença celíaca podem usar óleo de gérmen de trigo em uso externo e em qualquer caso, todos os produtos que contêm glúten, gel de banho, xampu, cremes etc .. se entrarem em contato com a pele podem ser prejudiciais?

Agora está provado que cosméticos e produtos de limpeza, incluindo os vendidos nas farmácias, não são prejudiciais tanto para o celíaco ou para aqueles que sofrem de dermatite herpetiforme, mesmo que contenham glúten, porque seu uso é tópico (pele, cabelos, lábios, olhos, cavidade oral, etc.) e não envolve qualquer contato com a mucosa intestinal (que não é produzido por ingestão). Assim também para cosméticos e detergentes no valor das entradas especiais que não são necessários e se eles não estão presentes não constituem um risco para a doença celíaca.”

Uma alergia ao glúten em particular ou aos derivados de trigo em geral é uma condição diferente. É uma reação alérgica com perfil imunológico diferente e não tem ligação direta com a doença celíaca. Ambas condições são raras, mas há pessoas que podem sofrer de ambas.

O que realmente acontece em uma alergia é que o sistema imune do corpo reconhece algo como estranho e reage a ele. Não reconhece necessariamente a coisa toda. Isso é particularmente importante quando se está falando sobre proteínas porque são cadeias constituídas de aminoácidos. Existem cerca de 20 aminoácidos diferentes, por isso, se você der a cada aminoácido uma letra diferente do alfabeto, você poderia descrever uma proteína por uma sequência de letras. A reação alérgica seria para uma determinada sequência de letras. Não para a palavra toda.

Então quando nos questionamos se a proteína hidrolisada do trigo é um problema maior do que outros ingredientes, o que realmente queremos saber é se há sequências de aminoácidos capazes de provocarem uma reação alérgica. Não há uma teoria para prever isso. É uma questão de avaliar as evidências disponíveis. Por isso a recomendação é manter as cadeias de proteínas mais curtas.

Sabonetes e tensoativos parecem aumentar as chances de uma reação. Isso é bastante lógico, dado que eles são suscetíveis de interromper a função barreira da pele. Aparentemente o pior caso até o momento – e que desencadeou a investigação do SCCS – foi uma suposta epidemia de sensibilização no Japão. Portanto, se o caso for de alergia a proteínas de trigo, você pode dizer facilmente se ele está presente ou não, consultando a lista de ingredientes.

De volta aos cosméticos sem glúten

Tanto o trigo quanto a aveia são usados em alguns produtos cosméticos. Inclusive há uma marca bem conhecida, Aveena, que usa a aveia como discurso de venda. Esses produtos devem ser evitados?

É uma boa pergunta. Os derivados de trigo são amplamente utilizados como agentes de condicionamento da pele e principalmente dos cabelos. Eles são altamente processados e purificados. É extremamente improvável que qualquer vestígio de glúten passasse pelo processo de fabricação e acabasse na pele de usuários. Mesmo se fosse para fazê-lo, haveria muito pouca chance de ele atravessar a pele. Então eu tenho que dizer que, logicamente, as pessoas com uma sensibilidade conhecida ao glúten podem usar produtos com derivados de trigo neles sem medo. Mas nós humanos não somos tão lógicos e posso entender porque eles podem não querer correr o risco.

Os derivados de trigo serão listados na lista de ingredientes. O glúten em si não tem um nome oficial, refletindo o fato de que ele não é usado como ingrediente em cosméticos. Os ingredientes mais próximos são gliadina (Gliadin) e glúten de trigo hidrolisado (Hydrolyzed Wheat Gluten). Então se você tem um problema alergia ao glúten, melhor evitar esses dois ingredientes.

Referências
Este texto é uma compilação dos três textos originais do Collin listados abaixo.
Gluten Free
Gluten Free Cosmetics
Hydrolysed Wheat Protein