Brasil lidera os lançamentos globais em Hair Care em 2013

publicado

Dados publicados pela Mintel recentemente colocam o Brasil como responsável por 9% de todos os lançamentos mundiais de produtos de cuidados com os cabelos (Hair Care) em 2013, a frente do Reino Unido (8%) e Estados Unidos (7%). Além disso, ainda é esperado um crescimento anual de dois dígitos para o mercado brasileiro pelos próximos quatro anos. A projeção estima atingir R$ 12,45 bilhões até 2017.

Em 2013, de acordo com a Mintel, o mercado de varejo de shampoo e condicionador foi estimado em US$ 2,92 bilhões. A categoria shampoo tem a maior penetração, com 91% dos brasileiros afirmando utilizarem este item, o que nos coloca mais uma vez a frente de outros países como Espanha (90%), Itália (90%), Alemanha (92%), França (91%) e Reino Unido (89%). A alta penetração é um ótimo índice, mas temos um ponto a nosso favor: a frequência de uso. Enquanto nós tomamos, em média, 20 banhos por semana, os ingleses o fazem 5,6 vezes e os norte-americanos, 7,4 vezes. Nossos hábitos de higiene causam espanto e admiração aos olhos estrangeiros. Brasileiro é muito limpo!

Voltando aos dados Mintel, 39% dos consumidores brasileiros dizem usar algum condicionador leave-in (nosso velho conhecido creme para pentear). Muito acima dos 11% dos franceses e dos 10% dos ingleses. Mais ainda! Quando o assunto é condicionador enxaguável (nossos condicionadores, cremes de tratamento e as queridinhas do momento: ampolas), 75% dos consumidores brasileiros dizem usá-los, comparados com 31% dos franceses e 59% dos ingleses. Outro momento em que nossa história cultural influencia bastante. Estima-se que cerca de 70% dos brasileiros tenham cabelos cacheados. Um tipo de cabelo que demanda mais cuidado e o uso maior de cremes. Apenas isso bastaria para termos um consumo maior desse tipo de produtos. O que vemos nas ruas não é o que está no DNA, pois os tratamentos químicos para alisar os cabelos são opção de 58% dos consumidores (aqui estão incluídos muitos cabelos não cacheados). No entanto, com o crescimento do movimento “assuma seus cachos”, podemos esperar que o uso de condicionadores enxaguáveis e não enxaguáveis aumente ainda mais em relação a outros países.

Anúncio

Os apelos mais procurados pelos brasileiros são hidratante (35%) e anticaspa (31%). De todos os produtos de Hair Care lançados no Brasil, 50% deles apresentam o apelo hidratante contra 29% dos lançamentos mundiais. Também reflexo dos nossos maus hábitos. O simples fato de termos a maioria dos cabelos cacheados já seria uma boa justificativa para a necessidade de mais hidratação dos cabelos. Todavia, ainda são realizados tratamentos químicos como descoloração, coloração, relaxamento e alisamento com uma frequência e associação assustadoras. Isso acaba danificando e aumentando ainda mais a necessidade de hidratação dos fios. Some isso à afirmação de quase todas as mulheres de que seus cabelos são ressecados. Os brasileiros são muito exigentes com seus cabelos. Com esse excesso de intervenções, o couro cabeludo pode ficar sensibilizado, irritado ou inflamado, ocasionando a descamação. Como o principal sintoma da caspa é a descamação do couro cabeludo, para os brasileiros qualquer descamação é chamada erroneamente de caspa.
Por último, mas não menos importante, os dados compararam a nossa inspiração de shampoos sem sal. Em 2011, o Brasil representou 95% dos lançamentos com esse apelo, enquanto em 2011 comamos apenas 86%. Isso significa que além do brazilian blowout (escova progressiva) e da queratina em produtos capilares, também inspiramos a retirada do cloreto de sódio dos shampoos. Já que o restante do mundo passou de 5% de lançamentos sem sal em 2011 para 14% em 2013. É bem possível que essa corrente permaneça, já que somos exigentes com os produtos para os cabelos e somos o maior mercado de Hair Care ainda em crescimento.

Referências:
BBC
Bem Estar
Mintel
Saúde Plena
Zero Hora

Anúncio

Por Gustavo Boaventura

Criador e Diretor de Conteúdo. Farmacêutico Industrial pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Especialista em Pesquisa & Desenvolvimento de Produtos Cosméticos. Mestre em Comunicação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) com foco no consumo de cosméticos masculinos. Bacharel em Administração pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas). Experiência em Pesquisa & Desenvolvimento de produtos capilares. É o idealizador e criador do Cosmética em Foco e escreve desde 2007.