China reduz exigência de testes em animais para cosméticos

publicado

O órgão sanitário chinês China’s Food & Drug Administration (CFDA) anunciou os planos para remover a obrigação dos testes em animais para os produtos cosméticos fabricados no país a partir de junho de 2014.

Pela primeira vez, a empresas chinesas estarão isentas de conduzir testes em animais. A regra será válida para produtos cosmético de uso não especial, tais como shampoo e cremes para a pele, mas não tinturas capilares, fotoprotetores ou outros produtos com atividade biológica. Os fabricantes poderão embasar a segurança de seus produtos com dados de segurança das matérias-primas ou testes alternativos validados pela União Europeia. Até então, as empresas submetem amostras de seus produtos para o órgão que realiza os testes em coelhos, camundongos e ratos.

Inicialmente, as novas regras só se aplicarão aos cosméticos fabricados na China. Entretanto, o CFDA já adiantou que uma vez que o novo sistema esteja estabelecido, pode ser ampliado para incluir também os produtos importados e alguns cosméticos de uso especial também. Trata-se de um grande passo para a harmonização e livre comercialização de produtos com o selo “cruelty-free” serem vendidos mundialmente.

Observação: o que eles classificam como uso não especial e uso especial é semelhante à classificação da Anvisa em produtos de Grau I e de Grau II. Tem dúvidas na classificação de risco da Anvisa? Escreve para nós ou comente que fazemos um post sobre o assunto.

Fonte: Cosmetics Business

Por Gustavo Boaventura

Criador e Diretor de Conteúdo. Farmacêutico Industrial pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Especialista em Pesquisa & Desenvolvimento de Produtos Cosméticos. Mestre em Comunicação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) com foco no consumo de cosméticos masculinos. Bacharel em Administração pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas). Experiência em Pesquisa & Desenvolvimento de produtos capilares. É o idealizador e criador do Cosmética em Foco e escreve desde 2007.