Estudo testa exposição de consumidores a produtos cosméticos

ANÚNCIO

Hall e colaboradores obtiveram informações sobre frequência e quantidade de produtos cosméticos aplicados pelo consumidor europeu de cinco países.

Visando atualizar os dados do último estudo, há mais de 15 anos, e fornecer informações quantitativas sobre os hábitos e práticas dos consumidores europeus, este estudo investigou a exposição dos consumidores a seis produtos cosméticos: loção corporal, desodorante/antiperspirante (spray e não spray), batom, hidratante facial, shampoo e pasta dental, escolhidos por serem comumente utilizados por homens e mulheres diariamente, com algumas exceções.

Os dados foram obtidos a partir de três pesquisas existentes: o European toiletries and cosmetics database (ETCD), o ISC database e o TNS Europanel database. O ETCD fornece informações sobre o uso diário de produtos cosméticos através de diários e questionários preenchidos pelos participantes durante uma semana. Os dados obtidos a partir do ISC, concentram-se na quantidade de produto usado. E o TNS Europanel fornece dados sobre as compras que, combinados com a frequência de utilização, permitem o cálculo da quantidade estimada por uso.

O estudo calculou a exposição diária multiplicando a frequência média diária de uso pela quantidade média de uso por produto para cada um dos cinco países: França, Alemanha, Espanha, Reino Unido e Dinamarca. Cada um desses países representou uma amostra significativa da Europa.

Os pesquisadores descobriram que a medida que o uso aumenta, a quantidade de produto aplicada diminui. Isso dificulta o cálculo da exposição e produziu dados errôneos nos estudos anteriores.

ANÚNCIO

Os consumidores, frequentemente usam mais de um produto da mesma categoria. O TNS indica que fornecendo o mesmo produto aos indivíduos, o pesquisador pode perder até 10% do uso ocasional de dentifrício e até 20% do uso ocasional de xampu. Além disso, a quantidade utilizada do produto é relacionada a características de cada marca, tais como viscosidade, perfume, etc.

Opinião do autor: sou suspeito para falar desse tipo de estudos, pois é a área que mais gosto na cosmetologia. O estudo é muito amplo e ficou realmente difícil sintetizar um pouco de tudo nele em tão pouco espaço. Posts muito grandes não são atrativos, por isso, tentei levantar a curiosidade dos interessados. Quem quiser ler o estudo na íntegra, deixa um comentário com seu e-mail que eu envio o PDF (em inglês).

Saiba mais: a nomenclatura correta para shampoo e pasta dental, segundo a língua portuguesa, é xampu (sem acento, porque não acentuamos oxítonas terminadas em u) e dentifrício, respectivamente.

Artigo original: HALL, B.; TOZER, S.; SAFFORD, B.; COROAMA, M.; STEILING, W.; LENEVEU-DUCHEMIN, M. C.; MCNAMARA, C.; GIBNEY, M. European consumer exposure to cosmetic products, a framework for conducting population exposure assessments. Food and Chem Toxicol, v.45, n.11, p.2097-2108, November, 2007.

Fonte: Bird, Katie. Colipa tests consumer exposure to cosmetics products . Acesso em 30/09/2007.

Comentários estão fechados.