Expectativas para o mercado de maquiagem no Brasil

ANÚNCIO

No dia 18 de junho de 2015, o Brasil teve lugar de destaque em uma conferência durante a MakeUp in Paris. A mensagem era um convite às empresas internacionais. O Brasil representa atualmente 9,4% do consumo global de cosméticos e ocupa o primeiro lugar nos segmentos de desodorantes, perfumes e proteção solar.

Em matéria publicada no jornal Valor Econômico em 02 de julho de 2015, foi relatado um recuo de 4,5% na fabricação de sabões, detergentes, produtos de limpeza, cosméticos, produtos de perfumaria e de higiene. Para a Abihpec, os principais fatores que explicam a queda na produção foram a crise política e econômica, aliada à desvalorização do real e à inflação. A equiparação da cobrança de IPI de atacadistas a industriais pode elevar os preços dos cosméticos em até 12% acima da inflação.

Contudo, apesar do conturbado momento econômico brasileiro, o setor de cosméticos tem desempenhado melhor que outros segmentos da economia, segundo a Abihpec (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos). Uma previsão da Mintel diz que em 2019 o setor de beleza no Brasil desfrutará de um crescimento único de 63%!

A categoria de maquiagem continua em terceiro lugar no consumo global, representando 7,7% do mercado de cosméticos brasileiro em uma distribuição homogênea entre as subcategorias: 28% para os produtos para unhas, 24% para os cuidados com os lábios, 24% para rosto e 24% para os olhos. Dados do Euromonitor indicam que 73% das mulheres brasileiras usam um batom ou gloss, 71% usaram esmalte nos últimos seis meses e 32% usam maquiagem regularmente, segundo dados da Mintel.

Para estimular esse mercado de maquiagem, o Brasil receberá novamente em 2015 a MakeUp in São Paulo nos dias 8 e 9 de dezembro. Save the date!

Comentários estão fechados.