Formulando cremes faciais

ANÚNCIO

Mensalmente, haverá um post sobre uma formulação específica. Nos primeiros meses, abordaremos as formulações basicas. O que uma formulação cosmética precisa conter essencialmente. Afinal, uma boa base cosmética já garante um bom produto. Daí basta o formulador acrescentar os ativos e observar a aceitação do público.

Introdução
As formulações de cremes faciais contém diversos components, dependendo das características da pele do publico-alvo e dos efeitos desejados. Os apelos mais comuns atualmente associados aos cremes faciais são anti-rugas, anti-poluição e antioxidante.
Muitas formulações são, basicamente, emulsões O/A ou A/O. No entanto, as formulações para a pele tendem a ser mais O/A que A/O.
O formulador pode adicionar os ativos para peles oleosas, peles secas ou peles sensíveis.

Algumas das principais características dos cremes faciais são:
– Cor e fragrância neutras ou agradáveis;
– Fácil espalhabilidade e toque suave durante aplicação;
– Não oleosa e não pegajosa após a aplicação;
– Não comedogênica;
– Hidratante
– Bem tolerada e não alergênica.

Matérias-primas utilizadas
Mais usadas
Emulsificantes 2-6%
Emolientes 10-35 %
Espessante 0,1-1%
Água deionizada Q.S.

Usuais
Preservantes 0,2-1%
Umectantes 1-8 %
Agentes de consistência 1-6%
Antioxidantes 0,01-0,05%
Fotoprotetores 0,01-0,5%

ANÚNCIO

Opcionais
Agentes quelantes 0-0,02%
Fragrância 0,1-1 %
Ingredientes ativos 0,1-2%
Agentes estéticos 0,1-5%
Corantes Q.S

Técnica de preparo:
1. Fase aquosa: o agente de consistência é dispersado em água quente a 75-80°C sob intensa agitação até que se forme um gel homogêneo;
2. A fase aquosa é misturada a fase oleosa (componenes lipofilicos + emulsificantes + emolienentes) já fundidos e aquecidos a mesma temperatura;
3. Homogeneizar sob intensa agitação até que a emulsão se forme.
4. Mantenha agitação leve até que a temperatura diminua até a temperatura ambiente.
5. Os ativos, adjuvantes especiais e os preservantes são incorporados à formulação após o resfriamento, para manter suas propriedades intactas.

Dicas!
Como variar a consistência do creme?
– Modificando a percentagem da fase oleosa permite variações na viscosidade final da preparação:
* Para emulsões O/A, quando maior a fase oleosa, maior a viscosidade.
* Para emulsões A/O ou A/S (água em silicone), quanto quanto maior a fase aquosa, maior a viscosidade.
– Modificando a percentagem de espessantes (agents gelificantes ou agents de consistência, como as ceras). Entretanto, alguns estabilizantes podem prevenir a sedimentação sem aumentar a viscosidade.

Formulando para peles secas:
Critérios para seleção dos ativos:
– Diminuir a perda de água transepidérmica utilizando emolientes oclusivos na fase oleosa (p. ex.: esqualeno, cera de abelha, triglicerídeos, ácidos grazos essenciais ou silicones);
– Reforçar ou reconstituir o NMF (Natural moisturizing factor, Fator de Umectação Natural) com componentes adequados (p. ex.: lactato de sódio, PCA-Na)
– Trazer umectânia com components higroscópicos (p. ex.: uréia, alantoína, polióis ou ácido hialurônico)

Saiba mais: Emulsão; Pele

3 Comentários
  1. Gustavo Boaventura Diz

    Esse post era para ter saído ontem, mas por problemas na internet, tive que adiar um dia inteiro. Uma pena. Espero que seja útil assim mesmo.

  2. Fernandinha' Diz

    Post muito bom, me ajudou para o meu trabalho sobre cremes faciais. Porém senti falta dos componetes… Poderia colocar os componentes e propriedades dos cremes?! Obrigada.

  3. Gustavo Boaventura Diz

    Fernandinha,
    muito obrigado pelo comentário. Fico contente que tenhamos ajudado você em seu trabalho. Qualquer livro de cosmetologia traz uma extensa lista desses componentes. Abordaremos ingredientes em momento oportuno e com foco específico no ingrediente e não na formulação.

Comentários estão fechados.