Nanotecnologia em cosméticos oferece risco à saúde?

ANÚNCIO

A resposta a este paradigma foi dada pelo Dr. Johann W. Wiechers na página 25 da edição de março de 2010 da revista Cosmetics & Toiletries norte americana. Segue abaixo a minha leitura e interpretação do assunto.

As nanopartículas são ativas devido a sua grande superfície de contato. Esta área as diferencia do todo porque há mais ligações incompletas no exterior das moléculas, tornando-as mais ativas.

Atualmente, as nanopartículas em cosméticos estão presentes principalmente em fotoprotetores. Por exemplo, partículas de óxido de zinco e dióxido de titânio de nanoparticuladas são usadas para evitar a aparência branca e brilhosa na pele após o uso.

Estes filtros físicos são incorporados como nanopartículas da ordem de 40 a 60 nanômetros (nm) e, nesse tamanho, elas apresentam transparência sem perder sua capacidade de atenuação da energia UVA e UVB.

Devido a reatividade das nanopartículas, seu uso pode, sim, levar a efeitos tóxicos inesperados. Em tempo, estudos da inalação dessas partículas tão pequenas provou que podem ser perigosas. No entanto, como a maioria da população é leiga no assunto, acabam concluindo que todas as nanopartículas são perigosas, mesmo estudos refutem a penetração de todas as nanopartículas atualmente utilizadas em cosméticos.

ANÚNCIO

As partículas de óxido de zinco não penetram o estrato córneo da epiderme (em outras palavras: não ultrapassam a barreira da pele). Elas não alcançam as camadas irrigadas da pele humana e, portanto, não são tóxicas.

Opinião do autor: empresas sérias fazem e exigem todos os estudos de segurança e eficácia de seus fornecedores e de seus produtos. Já começam a aparecer também maquiagens com nanopartículas que permitem maior espalhabilidade e um visual mais uniforme. E por enquanto o avanço nanotecnológico brasileiro em cosmetologia fica por aí. Nas outras classes de produtos ainda não temos muitas novidades, pois são ingredientes de custo elevado. Um custo que a maioria dos consumidores brasileiros ainda não aceita pagar.

6 Comentários
  1. Denise Soledade Jornada Diz

    Eu sinceramente discordo da sua visão, e acho que falta um pouco mais de aprofundamento na sua leitura. Prova é esse produto BRASILEIRO, que já está a venda em várias farmácias por um preço inferior aos concorrentes:
    http://www.photoprot.com.br/#/home

    Além disso ainda existem produtos do Boticário também com nanopartículas.
    Na área de medicamentos, muitos produtos já estão no mercado e outros tantos em proteção patentária aguardando os resultados dos testes clínicos (inclusive sou pesquisadora num desses projetos)
    Se você quiser uma leitura mais fácil a respeito de nanopartículas (e tudo que as envolve elas) sugiro iniciar lendo o blog Bala Mágica
    http://bala-magica.blogspot.com/

  2. Gustavo Boaventura Diz

    Denise,

    eu me referi aos produtos de varejo. Isso justamente não inclui canal farma, venda direta e franquia, que são produtos de custo mais elevado pelo quais os consumidores pagam quantias mais altas. No varejo eu realmente desconheço grandes inovações. Já vi muitos produtos que se dizem nanotecnológicos.

    Um de seus exemplos de produto é justamente um fotoprotetor vendido no canal farma. A área que mais tem se apropriado de nanopartículas.

    Minha intenção em nenhum dos posts é esgotar o assunto e o propósito deste foi trazer um texto menos alarmista e menos apocalíptico que as conversas informais que ouço no meio profissional.

    Muito válida sua sugestão de leitura!

  3. Rafaela Diz

    Olá! Por favor, como tenho casos de câncer na família, sempre opto por utilizar produtos naturais, inclusive cosméticos. Dessa forma,utilizo a maquiagem mineral fabricada pelo Boticário. Porém, a embalagem do produto diz que "sua fórmula contém partículas micronizadas", sendo que em sua composição há dióxido de titânio e outros minerais. Sendo assim, gostaria de saber se o uso de maquiagem mineral com partículas micronizadas de dióxido de titânio faz mal a saúde ou se é tóxico.
    Desde já agradeço!

    Att.,
    Rafaela.

  4. Gustavo Boaventura Diz

    Rafaela,
    você precisa alinhar essa informação com seu médico, mas, via de regra, não é apenas o tamanho da partícula que define se ela é segura ou não. Podemos ter uma nanopartícula segura e uma macroemulsão tóxica.
    Sobre a maquiagem mineral, especificamente, consulte este tópico: https://cosmeticaemfoco.com.br/2010/06/sobre-maquiagem-mineral.html

    Obrigado por visitar o Cosmética em Foco!

    Att,

    Gustavo.

  5. Rafaela Diz

    Ok Gustavo, agradeço pela sua atenção.
    Minha dúvida agora é: o dióxido de titânio é tóxico ou cancerígeno? Pergunto isso porque toda vez que eu uso maquiagem mineral sinto tosse, garganta seca, coceira no corpo. Apesar disso, eu acabo usando produtos minerais porque eles não possuem conservantes e talco.

    Att.,
    Rafaela.

  6. Gustavo Boaventura Diz

    Rafaela,

    nem um nem outro. Se você suspeita de alguma reação deve procurar um médico para realizar os exames adequados. Assim você poderá tratar o que quer que seja e se conhecer melhor.

    Att,
    Gustavo.

Comentários estão fechados.