Como no último texto (veja aqui a parte 2) eu disse que o importante é fazer o consumidor ler os rótulos dos produtos, nesta postagem vamos analisar alguns rótulos de xampus, condicionadores e finalizadores capilares e compreender se eles poderiam ou não ser utilizados para o No Poo / Low Poo, seguindo apenas as orientações sugeridas no livro Curly Girl. No fim dessa série de postagens, acrescentarei as minhas considerações sobre este tratamento e os produtos realmente “proibidos” ou “permitidos”.

Como no último Post eu disse que o importante é fazer o consumidor ler os rótulos dos produtos, nesta postagem vamos analisar alguns rótulos de xampus, condicionadores e finalizadores capilares e compreender se eles poderiam ou não ser utilizados para o No Poo / Low Poo, seguindo apenas as orientações sugeridas no livro Curly Girl. No fim dessa série de postagens, acrescentarei as minhas considerações sobre este tratamento e os produtos realmente “proibidos” ou “permitidos”.

Homem lavando os cabelos com shampoo sem sulfato, no poo, low poo.
Cabelos limpos sem espuma? Foto: GettyImages / Divulgação.

Como a minha intenção não é fazer divulgação de nenhum produto específico, nossa análise ficará restrita aos componentes descritos no rótulo. Além disso, como também não é meu interesse avaliar se as empresas cumprem ou não as exigências legais da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), preferi não incluir sequer as imagens dos produtos, apresentando apenas as composições conforme descritas nos contra-rótulos de produtos pesquisados em janeiro de 2009 pelo Global New Products Database (GNPD), da Mintel.

Fórmula 1 – Xampu Infantil Suave

Composição: Water, PEG-150 pentaerythrityl tetrastearate, disodium lauryl sulfosuccinate, sodium laureth sulfate, sodium lauroyl sarcosinate, sodium cocoamphoacetate, PEG- 80 sorbitan laurate, avena sativa (oat) kernel extract, fragrance, diazolidinyl urea, iodopropynyl butylcarbamate, citric acid, tetrasodium EDTA.

Análise: Apesar de ser um produto dito infantil, ele contém uma altíssima proporção de agentes detergentes. Uns mais suaves e outros mais agressivos, mas é justamente o equilíbrio entre eles que faz esse produto ser suave. Segundo o que já foi dito sobre o Low Poo, este produto apresenta Lauril Éter Sulfato de Sódio (Sodium Laureth Sulfate) em menor concentração que um xampu convencional para adultos, mas como contem não seria um produto permitido para o Low Poo.

Preço médio: R$ 4,89 (fevereiro de 2009)

A técnica No Poo / Lo Poo é mais indicada para cachos.
Foto: GettyImages / Divulgação.

Fórmula 2 – Spray Leave On Modelador de Cachos

Composição: Hydrolyzed wheat protein, dimethylpabamidopropyl laurdimonium tosylate (and) aqua (and) glycol stearate, polyquaternium-37 (and) propylene glycol dicaprylate/dicaprate (and) PPG-1 trideceth-6, quaternium-16, dimethicone/glycidoxy dimethicone crosspolymer (and) trideceth-12, dimethicone copolyol, methyldibromo glutaronitrile (and) phenoxietanol, polysorbate 20, glycerin, parfum, citric acid, aqua.

Análise: Por ser comercializado apenas no Brasil, este produto não segue o consenso internacional de descrever os componentes em ordem decrescente de concentração. Por que eu sei que ele não é comercializado fora do Brasil? Pelo conservante que ele utiliza (clique aqui para ler a matéria de atualização sobre conservantes usados em cosméticos). É realmente uma formulação indicada para deixar os cachos mais hidratados. E, para quem não sabe (ou não percebeu ainda), cachos hidratados é sinônimo de cachos definidos! Segundo o que diz Lorraine Massey em seu livro, este produto apresenta algumas das substâncias indicadas como a proteína de trigo (Hydrolyzed Wheat Protein), a glicerina (Glycerin) e o ácido cítrico (Citric Acid). No entanto, apresenta um silicone (Dimethicone Copolyol) que, apesar de promover a hidratação local, é um silicone, portanto tornaria este produto “proibido” para o No Poo / Low Poo.

Preço médio: R$ 32,80 (fevereiro de 2009)

Fórmula 3 – Condicionador Infantil

Composição: Water, cetearyl alcohol, cetrimonium chloride, mineral oil, amino-bis propyl dimethicone, trideceth-12, TEA-dodecylbenzenesulfonate, fragrance, glyceryl stearate, formaldehyde, methylchloroisothiazolinone, methylisothiazolinone, aloe vera extract, CI 59040, citric acid.

Análise: É irônico, mas o principal produto a ser utilizado para o No Poo / Low Poo, dos que analisamos aqui, é o que mais contem substâncias ditas “proibidas”, como o óleo mineral (Mineral Oil ou Paraffinum Liquidum) e um silicone amínico (Amino-bis Propyl Dimethicone, um amodimeticone).

Preço médio: R$ 6,65 (fevereiro de 2009)

Mulher ruiva com cabelo cacheado também usa no poo low poo
No Poo / Low Poo é para todos os tipos de cachos.
Foto: GettyImages / Divulgação.

Fórmula 4 – Máscara Capilar

Composição: aqua, propylene glycol, behentrimonium chloride and cetearyl alcohol, cetearyl alcohol, ceteareth-20, macadamia ternifolia seed oil, butyrospermum parkii butter, persea gratissima oil, trimethylsilylamodimethicone, polyquaternium 6, phenoxyethanol (and) methylparaben (and) ethylparaben (and) propylparaben (and) butylparaben (and) isobutylparaben, parfum, disodium EDTA, methylparaben, propylparaben, BHT.

Análise: Essa máscara altamente hidratante para os cabelos frágeis e ressecados, como são os cacheados, é “proibida” para o No Poo / Low Poo, pois apresenta um silicone amodimeticone em sua composição (Trimethylsilylamodimethicone).

Preço médio: R$ 16,90 (fevereiro de 2009)

Fórmula 5 – Gel Fixador Sem Álcool

Composição: Water, propylene glycol, triethanolamine, carbomer, PEG 40 castor oil, aloe barbadensis, PVP, methylparaben, parfum.

Análise: Enfim um produto permitido e barato, pelo menos para finalizar o tratamento e deixar os cachos secarem naturalmente e com definição. Da nossa lista é o que mais apresenta produtos permitidos: propilenoglicol (Propylene Glycol), óleo de rícino hidrogenado (PEG-40 Castor Oil), aloe (Aloe Barbadensis) e PVP. Convém apenas prestar atenção para o fato de o PVP eventualmente causar descamação que pode ser confundida com a caspa.

Preço médio: R$ 3,99 (fevereiro de 2009)

Opinião do autor: a minha opinião foi exposta durante a análise de cada composição, mas ainda há muito a ser falado sobre os produtos e formulações. É importante destacar que a análise e avaliação de cada fórmula seguiu exclusivamente o que está proposto no livro Curly Girl. Não expus a minha opinião técnica sobre o assunto, pois não era esse o objetivo.

Atualizado em 16 de janeiro de 2016.

26 COMENTÁRIOS

  1. Olá acompanho seu blog e esta sendo muito bom, pois pelo orkut conheci a técnica e estou me livrando das quimicas, e para a recuperação dos meus cachos a técnica foi um grande aliado.

    Obrigada por compartilhar estas informações abraços.

  2. Oi Gustavo!!

    Em primeiro lugar, parabéns pelo teu blog, muito bom!!

    Venho acompanhando algum tempo as discussões sobre o no/low poo, e vou começar na semana que vem a aplicação prática, em mim mesma (sim, tenho muuuuitos cachinhos!!kkkk). Meu interesse então, além de profissional, é em causa própria!!

    Não consegui ainda acesso ao livro, por isso não posso afirmar, mas me parece que a questão do silicone está ligada ao fato dele ser hidrossolúvel ou não, devido ao tempo de deposição na fibra capilar. No caso os silicones citados amodimethicone e dimethicone copolyol não teriam problema…

    E prometo postar comentários, sobre a evolução da experiência!!

    Abraços!

  3. Por favor comprei produto da Farmaervas que contém mineral oil um pó compacto. Ele causa cancer? ou se usado com dose recomendada pode ser usado normalmente?A Farmaervas tem licença da ANVISA. Obrigada. Meu e-mail é glp2007@terra.com.br (Lourdes)

  4. Lourdes, até onde sei o uso de produtos com óleo mineral não causa câncer. Talvez você esteja se confundindo com alguma outra matéria-prima. Para a técnica de no poo e low poo não é recomendado utilizar produtos com óleo mineral, mas é por OUTROS motivos.

  5. Bom dia Gustavo,
    Gostaria que você me falasse do parabeno, presente na maioria dos produtos cosméticos e que na Europa está sendo considerado um grande vilão, por ser cancerígeno. Fico no aguardo e parabéns por seu blog, que acabo de descobrir e que acho sério e interessante. Um abraço, Leila

  6. Bom dia Leila, muito obrigado!
    Em fevereiro de 2008 postei algo sobre os parabenos e nos meses seguintes várias outras postagens atualizando o assunto ainda polêmico e ainda controverso. Você pode começar por este aqui: https://cosmeticaemfoco.com.br/2008/02/o-problema-com-os-parabenos.html

    O grande vilão, no entanto, não é nenhum dos parabenos, mas as pessoas que divulgam esse tipo de informação ainda sem qualquer comprovação científica. Pode saber que estou de olhos atentos para novas publicações e de ouvidos antenados com as novas especulações.

  7. Oi, Gustavo

    Acompanho seu blog há tempos.
    Resolvi te pedir ajuda já que não consigo respostas precisas em nenhum site em portugues. os em ingles me confundem um pouco, já que meu ingles é macarronico.
    Estou usando shampoos sem sulfato, os normais Eh, Ikove, etc.
    Na minha busca tenho encontrado shampoos que se dizem sem sulfato, porém possuem as substancias abaixo:
    – sodium cocoyl isethionate
    – sodium lauroyl sarcosinate
    – sodium cocoyl glutamate
    – sodium benzotryazdeil butihylphenol sulfonate.
    Afinal, esta substancias sào sulfatos?
    Como definir os sulfatos? São os surfactantes anionicos ou os cationicos?
    Insisto no assunto, pq minha queda diminuiu muito após o início do uso de shampoos sem sulfato.

    Aguardo uma resposta.

    Grata

  8. Angela,

    os tensoativos (termo correto em português no lugar de surfactante) sulfatados são uma classe dentro dos tensoativos aniônicos como esses quatro que você citou.
    No entanto, há diferença entre os sulfatados (como o Lauril éter sulfato de sódio), os sulfonatos (como o Lauril éter sulfosuccinato de sódio), os isetionatos, as tauridas e os outros aniônicos…
    Como a sua dúvida pode ser compartilhada com mais gente, vou preparar um post especial sobre os tensoativos aniônicos, ok?
    Continue acompanhando o site e colaborando com suas dúvidas, críticas e sugestões. Obrigado!

  9. Olá Gustavo, estava fazendo uma pesquisa na internet sobre um novo produto lançado para cabelos cacheados e crespos e encontrei o termo, no poo e low poo, e mais pesquisas me levaram ao seu site. Li essa série de matérias e tratei logo de investigar os produtos que uso, que a propósito são do salão onde faço relaxamento. Vou descrever abaixo o que encontrei neles, na ordem impressa, para obter a sua opnião!:

    SHAMPOO
    Citric Acid, Cocamidopropyl Betaine, Polyquaterium-7, Sodium PCA, Proline, Serine, Cysteine, Arginine, Cocamide DEA, Disodium Lauterh Sulfosuccinate, Glycol Disterate, Cocamide MEA, Butylparaben, Ethylparaben, Methylparaben, Propylparaben, Phenoxyethanol, Cl 42090, Fragance, Aqua.

    CONDICIONADOR
    Citric Acid, Cyclodextrin, Phenyl Trimethicone, Amodimethicone, Isolaureth-6, Paraffinum Liquidum, Cetearyl Alcohol, Sodium PCA Pyrrolidone,Proline, Serine, Cysteine, Arginine, Cetrimonium Chloride, Glycerin, Butylparaben, Ethylparaben, Methylparaben, Propylparaben, Phenoxyethanol, Cl 42090, Fragance, Aqua.

    Dentre o que você descreveu, há apenas uma substância "proibida" no meu shampoo e no condicionador encontrei silicone. Seria os dois impróprios para uso se eu ficar adepta a esse procedimento? Pelo menos quando uso esse shampoo o meu cabelo não fica ressecado e menos maleavél como ficava com outros shampoos, mesmos os indicados para cabelos ressecados.

  10. Sonia,

    no seu shampoo tem o Disodium Laureth Sulfosuccinate que não é permitido dentro da proposta do No Poo/ Low Poo. Ainda assim é um shampoo mais suave que os comuns, pois o laureth sulfosuccinate é menos agressivo aos cabelos que o laureth sulfate.
    Agora, no seu condicionador há mais ingredientes não permitidos: phenyl trimethicone, amodimethicone e paraffinum liquidum.
    O que significa que, para aderir ao low poo deverá mudar seus produtos de costume. Lembre-se que para o no poo você não usará nenhum shampoo.

  11. Eu já entrei de cabeça no No Poo e já notei um pouco de diferença, somando as hidratações frequentes que procuro fazer para a ajudar os meus fios a não perder o brilho e nem a força.
    Obrigado pelas informações Gustavo, serão de grande valia.

  12. Gustavo estou muito interessada nesta tecnica,sou cabeleleira,me formei ha 2 anos num curso conceituado e vc acredita que nunca ninguem sequer tocou neste assunto?Os professores estao muito desatualizados,so querem saber de escova disso ou daquilo,nao tem a preocupaçao de nos tornar realmente profissionais em cuidar dos cabelos!Confesso que tem coisas que aprendi na net com vcs…Mas essa tecnica me parece muito dificil,vou ter que levar uma lista com os permitidos e proibidos,sei que vcs nao fazem propaganda de produtos mas por favor me diga,das marcas b.b(brasileiras e baratas)rs tem alguma coisa permitida?????(responde por favorrrrrrr)email:michesandro@hotmail.com

  13. Na matéria vc diz que os silicones são proibidos para no/low poo sendo que na verdade eles são proibidos para No poo e liberados para low poo, houve um outro que possuía óleo mineral e parafina e vc disse que era o principal produto utilizado para a técnica, se este produto estiver sendo usado por algumas pessoas elas foram mal orientadas pq não existe a possibilidade de um produto com essa composição ser o mais utilizado

    • Olá Lorena, obrigado pelo seu comentário! A fonte da matéria é o livro Curly Girl, da cabeleireira norte-americana Lorraine Massey, a criadora do conceito no poo e low poo. Em seu livro ela não é tão flexível quanto você em relação aos silicones. Para ela os silicones não devem ser usados por quem faz a técnica no poo e também low poo.
      Quanto ao produto mencionado, na época em que esse texto foi escrito os produtos presentes no texto esse produto era muito comentado em fóruns e blogs sobre no poo e low poo. Infelizmente os arquivos originais foram perdidos há alguns anos, mas vou atualizar esse texto com novos produtos e seus respectivos nomes, ok?

  14. Você diz que a fórmula 4, que contém Trimethylsilylamodimethicone, não é permitida para Low Poo. Na verdade é. Silicones são permitidos em Low Poo. Li que em um comentário você diz que as informações são baseadas no livro original que criou as técnicas. Acontece que o livro é anterior, portanto, a divulgação das técnicas em si, depois do livro os produtos se adaptaram, hj os shampoos sem sulfato (permitidos em Low) têm o anfótero betaínico Cocamidopropyl Betaine. Assim, silicones podem ser usados para quem faz Low hoje em dia.

    • Boa noite Ederson, vamos abordar detalhadamente os silicones em breve. Na técnica original nenhum silicone é permitido. Nas adaptações cada grupo de pessoas tem uma opinião diferente. Em termos de poder de remover silicones, vaselina e óleo mineral. Quimicamente isso nunca foi problema, mas ainda assim a técnica não permite o uso de shampoo com sulfato. Mesmo sem o anfótero cocamidopropyl betaine, os shampoos sem sulfato são capazes de remover os ingredientes mal falados pelos praticantes de low poo. Ainda assim, segundo a técnica original, silicones, óleo mineral e vaselina são proibidos para ambas as técnicas. Caso o shampoo não conseguisse remover esses ingredientes dos cabelos, o condicionador consegue perfeitamente emulsionar e removê-los. Falamos sobre isso no Cosmética em Pauta #13.

  15. O Disodium Laureth Sulfoccinate, e Disodium Cocoy Glutamat são considerados sulfatos fracos liberados para low poo?? Fiquei na dúvida vi alguns dizendo que o oro aragan monoi da Biodeem seria parcialmente liberado low poo. Isso procede?

    • Olá Rosiane, obrigado pelo seu comentário. Disodium Laureth Sulfosuccinate e Disodium Cocoyl Glutamate não são sulfatos. São tensoativos sem sulfato e, portanto liberados para low poo. O Disodium Cocoyl Glutamate é derivado do aminoácido ácido glutâmico.

  16. Olá.

    Você deu sequência a essa serie com o no poo/ low poo parte 4?
    Utilizando a aba de pesquisa do site eu não consegui achar

Comments are closed.