Parabenos precisam ser mais estudados

ANÚNCIO

Uma pesquisa publicada no periódico científico Experimental Dermatology, sugere que os parabenos (classe de substâncias amplamente utilizadas como conservantes dos produtos cosméticos atualmente) cruzam a barreira cutânea em quantidades proporcionais à freqüência das aplicações.

Em seus estudos ex vivo, Hussein e colaboradores avaliaram os efeitos de uma única aplicação de produtos contendo parabenos e de aplicações freqüentes durante 24h, mimetizando o uso de cosméticos que contém parabenos por um dia. Calcularam a passagem desses preservantes (nomenclatura recomendada para os famosos conservantes) através da epiderme e da derme. E a concentração de parabenos foi maior após a terceira a aplicação. Isso sugere que essas substâncias atravessam a barreira cutânea após repetidas aplicações de produtos cosméticos que os contenham em sua formulação.

Como os parabenos estão presentes na maioria dos produtos cosméticos, há a necessidade de estudos in vivo que avaliem os efeitos da aplicação repetida e contínua destes preservantes na pele, bem como a sua permeação através desta.

Recentemente, o apelo de cosméticos naturais e orgânicos vem crescendo, e com isso já estão disponíveis no mercado muitos produtos livres de parabenos em sua composição, oferecendo aos consumidores a opção de evitarem esses preservantes.

No entanto, o FDA (Food and Drug Administration, órgão governamental norte-americano responsável pela vigilância sanitária de medicamentos, alimentos, cosméticos e outros produtos) alerta que não há motivos para os consumidores se preocuparem quanto ao uso de produtos cosméticos que contenham parabenos.

ANÚNCIO

Opinião do autor: Da mesma forma que não há motivos para alarde, não se justifica o uso apenas de produtos que não contenham parabenos, pois eles podem apresentar outros preservantes ainda sem estudos detalhados em humanos que permitam o seu uso freqüente.

Saiba mais: Sawsan El Hussein, Patrice Muret, Michel Berard, Safwat Makki, Philippe Humbert. Assessment of principal parabens used in cosmetics after their passage through human epidermis-dermis layers (ex-vivo study). Experimental Dermatology 16 (10): 830–836, October, 2007.

Comentários estão fechados.