Muito se fala sobre pH dos cabelos. Muitos mitos, muitas verdades e muita baboseira, aliás. Afinal, o que é pH? O que é o pH dos cabelos e o quanto isso é importante nos produtos e tratamentos capilares? Variações no pH de produtos são suficientes para recuperar ou danificar os cabelos?

Primeiramente, há um senso comum de que as cutículas dos cabelos abrem e fecham como se fossem dobradiças de porta. E isso extrapola o tema pH dos cabelos, pois seja em lojas de cosméticos ou em diversos blogs a informação é a mesma. “pH alcalino abre cutícula e pH ácido fecha cutícula”; “umidade abre cutícula e calor sela cutícula”; “amiga, usa esse óleo milagroso e passa a chapinha para selar suas cutículas. Vai arrazar!” Exatamente! Não bastasse dizer que abre e fecha, ainda tem o efeito de selagem. Confesso que gostaria de fazer um censo e saber quantas pessoas e empresas possuem microscópios eletrônicos. São esses e outros equipamentos com alta resolução que nos permite verificar o estado das cutículas dos cabelos.

Garota loira com os cabelos ao vento cobrindo o rosto
O cabelo descolorido e com coloração permanente requer cuidados extras.
Foto: Splitshire.com

Enfim, nosso tema hoje não são as cutículas, mas o pH dos cabelos. O quanto você (realmente) sabe sobre isso? Confesso que me deparei com bastante informação que para foi nova e eu achei que conhecia bem essa relação do pH com os cabelos.

Em resumo, para não danificar os cabelos, mantenha-o distante de valores de pH extremos: abaixo de 3 ou acima de 9. Nesses valores de pH extremos, a fibra capilar cabelo incha, absorvendo água carregada positiva (íons H+) ou negativamente (íons OH-), dependendo do pH do meio. Isso pode ocasionar danos à estrutura dos fios. Deixe esses pHs longe da sua pele e dos seus olhos também, por garantia. Alguns exemplos do que evitar passar nos cabelos: suco de limão não diluído (pH 2), vinagre puro (pH 3), ácido glioxílico (pH 2) produtos com hidróxido de sódio, hidróxido de lítio, hidróxido de cálcio ou hidróxido de potássio puros (pH 12), produtos com amônia (pH 11). Essa é uma das principais razões pelas quais alisamentos, relaxamentos, tinturas e descolorações causam danos aos cabelos.

O que é pH?

De modo superficial e simplista, pH é a sigla para o termo químico potencial hidrogeniônico, que foi introduzido em 1909 por um químico alemão no controle de qualidade de cervejas. O pH é uma medida físico-química para a concentração de íons hidrogênio em uma solução. É importante destacar que para que exista o pH é essencial a presença de água, pois há gente que busca pH de óleos e silicones em sua forma pura. Mas será necessário primeiro misturar o ingrediente com água e então realizar a medição do pH.

Escala com valores comuns de pH para explicar o pH dos cabelos
Escala com valores de pH comuns.Fonte: adaptado de Wikipedia.

A gente aprende no ensino médio que a escala de pH varia de 0 a 14, sendo o pH de 0 a 7 considerado ácido e de 7 a 14 é alcalino (ou básico). Mas esqueçam isso! É bem possível obter medidas de pH abaixo de 0 e acima de 14. Nessa questão numérica, a gente pode se apegar ao pH 7,0 que representa um sistema neutro, pois é o pH da água pura.

Uma curiosidade: conhecemos os valores de pH em uma escala colorida que vai do vermelho ao azul, por causa dos indicadores de pH que adquirem essas colorações de acordo com o pH das soluções em que são adicionados. Alguns dos indicadores de pH mais comuns usados em laboratório estão a fenolftaleína, o alaranjado de metila, o azul de bromotimol e o papel de tornassol.

pH dos cabelos

Didaticamente o cabelo se resumiria a proteína, óleo e água. Devido a composição da queratina, os cabelos são ricos em cargas negativas que tendem a aumentar ao longo do dia na superfície. É na superfície que a maioria dos produtos vai agir. Onde? Nas cutículas. Elas são a superfície da fibra capilar, a parte mais externa e que dentre várias funções tem a nobre tarefa de proteger o interior da fibra capilar. Quando se mergulha um fio de cabelo em uma solução com pH impróprio (abaixo de 3 ou acima de 9), torna-se possível a ação no interior do cabelo e é aí que mora o perigo.

A carga positiva ou negativa, muitas vezes depende do pH. As proteínas possuem o que chamamos de ponto isoelétrico. Nada mais é que o valor de pH no qual há o completo equilíbrio entre cargas positivas e negativas. O ponto isoelétrico do cabelo é 3,8. Esse poderia ser considerado o pH dos cabelos. Quando os cabelos estão em meio acima de pH 3,8 ele se torna mais negativo, com excesso de cargas negativas. Por outro lado, em pH abaixo de 3,8 o cabelo se torna mais positivo porque os grupos carboxila (COO-) são protonados e há predominância de grupos amino (NH3+). O excesso de cargas negativas, por exemplo, pode é responsável por acúmulo de eletricidade estática e repulsão entre as fibras capilares.

Nada acontecerá se o contato for breve, como em uma aplicação de shampoo mais básico (pH alto) ou condicionador mais ácido (pH baixo), por exemplo. O problema mora no uso frequente e duradouro como em alisamentos, relaxamentos, descolorações e colorações, que geralmente são realizados mensalmente e em aplicações que duram cerca de 40 minutos.

Quando o cabelo passa por algum processo de oxidação (descoloração, coloração permanente, relaxamentos e alisamentos, cloro das piscinas ou ação da radiação solar) o ponto isoiônico diminui devido a mudanças químicas na superfície do cabelo. Então, um pH um pouco mais baixo pode ser até benéfico nesses casos. Por isso diversos produtos pós-coloração, pós-alisamento, pós-química, possuem pH abaixo do neutro e isso inclusive é usado como argumento para venda desses produtos.

Esquema das cargas elétricas na superfície dos cabelos em função do pH do meio.
Esquema das cargas elétricas na superfície dos cabelos em função do pH do meio.

Relação do pH dos cabelos com a abertura de cutículas

Em uma busca rápida pelo Google sobre pH dos cabelos vamos encontrar milhares de sites afirmando categoricamente que pH ácido (baixo) fecha as cutículas dos cabelos e pH básico (alto) abre as cutículas dos cabelos. Isso aconteceria porque o pH ácido neutralizaria as cargas, deixando as cutículas bem fechadas. Mas isso não impediria as cutículas de se abrirem novamente? O que vai mantê-las fechadas (seladas)?

Prefiro entender tudo isso como um equilíbrio dinâmico no qual as cutículas nunca estarão totalmente abertas ou totalmente fechadas em um cabelo normal. Em valores de pH extremos (extremamente alcalinos ou extremamente ácidos), com a absorção de ácido ou base, a fibra capilar incha e força uma maior abertura das cutículas, possibilitando dano permanente ao interior da fibra.

pH dos produtos para cabelo

Como todos os produtos para os cabelos podem ocasionalmente ter contato com os olhos ou a boca durante o uso (nem que seja durante o enxágue), por segurança, o pH neutro próximo de 7 seria o ideal. No entanto, para terem sua ação máxima, a maioria dos conservantes necessitam de pH levemente ácido para se manterem estáveis e ativos durante o prazo de validade do produto. Então é uma decisão difícil optar pela maior segurança química ou pela maior segurança microbiológica. Por essa razão, a maioria dos produtos cosméticos de uso frequente tem pH entre 5 e 7.

Para produtos de uso diário como xampu e condicionadores, o ponto isoelétrico é um bom fator a ser levado em consideração, mas de menor impacto pois esses produtos são enxaguados. Assim, o desequilíbrio elétrico será momentâneo, pois o tempo de contato desses produtos com os cabelos é relativamente curto. Então, manter o pH entre 4 e 6 é uma faixa razoavelmente segura para os cabelos quando se pensa em produtos enxaguáveis (rinse off). Para produtos que não serão enxaguados como géis capilares, cremes de pentear e outros leave-in, geralmente o pH fica entre 4 e 4,5. Além disso, são produtos com outros ingredientes como emolientes e umectantes. O que vale a pena levar em conta para produtos não enxaguáveis é: quanto distante de 4,0 for o pH da fórmula, maior deve ser a concentração de agentes catiônicos para neutralizarem as cargas negativas (que aumentarão nos cabelos em função do pH).

De modo geral, os produtos para os cabelos variam entre os valores de pH abaixo:

Condicionadores, máscaras, ampolas e outros tratamentos enxaguáveis: pH de 4 a 6.
Creme de pentear e outros produtos não enxaguáveis: pH de 4,5 a 6.
Produtos para escova ou chapinha: pH de 5 a 6.
Shampoos, No Poo e outros produtos para limpeza dos cabelos: pH de 5 a 6.
Produtos infantis: pH de 6 a 7.

O perigo maior está em tratamentos com valores de pH mais extremos como permanentes, relaxantes, alisamentos (alcalinos ou ácidos), descoloração ou coloração permanente. Porque esses tratamentos não se restringem à superfície. Eles necessitam de ação no interior da fibra e exatamente por isso possuem pH extremo.

Por isso um cabelo que passa por essas transformações químicas necessita de muito tratamento, mesmo que esteja aparentemente com brilho e sedoso. Esse cabelo está danificado estruturalmente.

Alguns cabelos são mais frágeis e sensíveis e outros são mais resistentes aos tratamentos mais suaves ou mais agressivos. Por isso é importante conhecer o próprio cabelo e a própria pele e reconhecer produtos que sejam bons ou ruins. Os consumidores devem dar preferência a produtos que sejam bons para seus cabelos. Por outro lado, os formuladores devem criar produtos que não sejam agressivos aos cabelos dos consumidores.

Como medir o pH dos produtos em casa?

Para medir o pH em laboratório, os profissionais usam um equipamento chamado pHmetro. Ele dificilmente será vendido para pessoa física. Além disso, o custo de manutenção pode ser relativamente alto para se ter um desses em casa. Para quem deseja conhecer o pH dos produtos que tem em casa, existe disponível para venda fitas indicadoras de pH. A caixa é cara e cada uma contém 100 fitas, então o preço individual de cada fita acaba sendo barato.

Fitas indicadoras de pH para medir pH de produtos cosméticos em casa.
Fitas indicadoras de pH para verificação caseira do pH de produtos.

Para verificar o pH dos produtos basta imergir a fita no produto desejado. É importante que toda a parte com os papeis indicadores entre em contato com o produto. Em seguida, mantenha a fita em contato com o produto durante pelo menos 10 segundos e retire. Espere de 30 segundos a 1 minutos antes do próximo passo. Após esse tempo, limpe suavemente a fita com um papel para retirar o excesso de produto e faça a leitura. Você posiciona a fita nos quatro quadrantes na embalagem das fitas e compara as cores. Assim você terá um resultado qualitativo que indica uma faixa de pH. No nosso caso, para produtos do dia a dia, o padrão de cores deve estar do 4 ao 6.

Referências:

DRAELOS, Z. D. Hair Care: An illustrated dermatology handbook. Taylor & Francis, New York, 2005.

NELSON, D.; COX, M.; W.H. Lehninger’s Principles of Biochemistry. 4. ed. Freeman and Company, New York, 2005

Science-y Hair Blog

VELASCO, Maria Valéria Robles et al . Hair fiber characteristics and methods to evaluate hair physical and mechanical properties. Braz. J. Pharm. Sci.,  São Paulo ,  v. 45, n. 1, p. 153-162,  Mar.  2009.

3 COMENTÁRIOS

  1. Boa tarde.
    Você se refere a ponto isoiônico e ponto isoelétrico como sendo a mesma coisa.
    No entanto, são conceitos distintos.
    O ponto isoelétrico da fibra capilar é 3,67 e o isoiônico é 5,6.
    Conceitos:
    –> Ponto isoelétrico: pH of which a protein or particle has an equivalent number of total positive and negative charges
    –> Ponto isoiônico: pH at which a protein or particle does not migrate in an electric field

    E toda a análise sequencial está equivocada, uma vez que a carga da fibra capilar está relacionada com o ponto isoelétrico (pH: 3,67). Ou seja, qualquer produto aplicado sobre cabelos com pH superior a 3,67 provoca um aumento na negatividade da carga elétrica do cabelo, isto é, um aumento da eletricidade estática e da repulsão entre os fios.

    • Mariana, muito obrigado por seu comentário! Confesso que tive dúvidas nesse ponto quando escrevi, mas a fonte que eu usei trazia essas afirmações, então preferi seguir usando a fonte. Agradeço muito sua colaboração e vou revisar o texto.

Comments are closed.