Procedimentos Estéticos para Hidratação da Pele

ANÚNCIO

Nossa pele exerce um papel fundamental na proteção de nosso corpo, pois além de atuar como barreira contra agressões mecânicas, térmicas e químicas, também é capaz de nos proteger contra agentes microbianos, radiação solar e de evitar a perda de água.

A epiderme, isto é, a camada mais superficial da nossa pele, com função hemostática (atua na cicatrização de ferimentos junto com o sistema de coagulação sanguínea) e propriedade de autorrenovação celular, requer um nível de hidratação ideal para que as células epidérmicas possam se multiplicar e se diferenciar, possibilitando que tenhamos uma pele saudável, capaz de exercer as funções citadas acima. A hidratação protege a pele da irritação, dos efeitos da poluição, do envelhecimento precoce, das infecções e, obviamente, do ressecamento.

Procedimentos estéticos podem auxiliar na manutenção da hidratação da pele
Hidratação mantém a pele saudável
Foto: Benzoix / Freepik.com

Os níveis de hidratação da pele dependem de vários fatores, incluindo:

  1. a presença de moléculas que retêm água, conhecidas como Fator Natural de Hidratação ou Natural Moisturizing Factor (NMF) junto ás células da epiderme;
  2. a presença de glicerol e ácido hialurônico endógeno como umectantes naturais da pele;
  3. o arranjo dos lipídios ou gorduras intracelulares organizados em lamelas no estrato córneo, funcionando como barreira à perda de água;
  4.  a presença de junções celulares em uma camada da epiderme, visando também impedir a perda de água e;
  5.  a presença e funcionamento das aquaporinas-3, canais presentes na membrana das células epidérmicas, responsáveis por regular o transporte de água, glicerol e ureia para a célula.

Agora que sabemos a importância de termos uma pele hidratada e quais os fatores e moléculas envolvidos na hidratação da pele, quais procedimentos estéticos existentes poderiam hidratar a nossa pele?

Skinbooster

Utilizado para promover hidratação profunda da pele, é um procedimento estético que consiste na injeção de ácido hialurônico sem reticulação, diretamente na epiderme e derme superficial. Pequenas quantidades de ácido hialurônico são injetadas com agulha na região a ser tratada, a qual pode ser a face (principalmente linhas finas ao redor dos lábios e dos olhos), mãos, colo ou pescoço. O tratamento completo consiste em três aplicações com intervalos de 30 dias entre estas aplicações, e deve ser realizado por profissional de saúde habilitado. Após estas primeiras aplicações, o efeito pode ser mantido com aplicações a cada seis meses.

o ácido hialurônico não reticulado, ou de baixo peso molecular, quando injetado retém água na pele
Hidratação profunda com ácido hialurônico injetável
Foto: Nikitabuida / Freepik.com

O ácido hialurônico utilizado neste procedimento pode ter concentração variável de 18 a 22 mg/mL; e ele difere do ácido hialurônico utilizado para preenchimento e volumização facial, pois não possui reticulação, ou seja, não faz crosslink com moléculas que funcionam como “garras” (como o 1,4-butanediol diglycidyl ether). A reticulação permite que a molécula permaneça intacta por mais tempo na região aplicada, evitando o deslocamento do produto.

Na epiderme, devido a sua carga negativa, o ácido hialurônico está localizado no exterior das células (matriz extracelular), onde trabalha como um transportador de nutrientes e metabólitos para os queratinócitos e melanócitos, estabelecendo interações importantes entre as células. O mesmo ocorre na derme, onde através de interações com as proteoglicanas, glicoproteínas, elastina e colágeno presentes também na matriz extracelular, exerce um papel importante na manutenção da estabilidade estrutural da pele.

O ácido hialurônico possui alta afinidade por moléculas de água, e ao transportar os nutrientes para as células da pele, também é responsável por transportar água para dentro da célula, proporcionando hidratação e um aspecto de pele mais macia e brilhante. Portanto, para o sucesso do tratamento é muito importante que o paciente beba água.

Peelings

A neutralização do pH do estrato córneo (camada mais superficial da epiderme) altera a permeabilidade e a função barreira da pele, promovendo a degradação de enzimas lipídicas e de corneodesmossomas, comprometendo também a hidratação da pele. Corneodesmossomas são complexos de proteínas presentes ao redor dos corneócitos, formados pelas proteínas desmogleína, corneodesmosina e placoglobina, responsáveis por manter a coesão dos corneócitos.

Alguns alfa e poli-hidroxiácidos são utilizados em peelings com o objetivo de promover a hidratação da pele, a qual pode ocorrer por dois mecanismos. Primeiramente, a ação esfoliante dos peelings químicos faz com que células córneas não se acumulem nas camadas superficiais da pele, tornando o estrato córneo menos espesso, pois quanto menor o espessamento da camada córnea, maior o aporte de água para a região. Outro mecanismo responsável por hidratar a pele é a hiperacidificação do estrato córneo, a qual aumenta a atividade de enzimas produtoras de lipídios e diminui a degradação dos corneodesmossomas, promovendo hidratação da pele.

A gluconolactona (INCI: Gluconolactone) é muito utilizada em peelings hidratantes por se tratar de um poli-hidroxiácido de efeito similar aos alfa-hidroxiácidos tradicionais (ex.: ácido glicólico), entretanto, não causa irritação à pele, podendo ser usada inclusive em peles sensíveis. A gluconolactona possui efeito esfoliante leve, e por apresentar diversos grupos hidroxila, é capaz de atrair água para a pele.

a gluconolactona é um poli-hidroxiácido recomendado para peles sensíveis
Molécula de gluconolactona
Foto: Cosmética em Foco

Independente do procedimento de escolha, é importante lembrar que fatores genéticos, ambientais e comportamentais (hábito de fumar e beber), estresse, idade, sexo, solventes orgânicos, detergentes, doenças (psoríase e dermatite) e o uso de determinados medicamentos influenciam na hidratação da pele. Logo, a presença ou ausência destes fatores influencia no resultado final do procedimento estético escolhido com a finalidade de hidratar a pele.

Outro procedimento estético que também pode ser utilizado com a finalidade de hidratar a pele é a intradermoterapia (aplicação de vitaminas e outras proteínas com diversas funções diretamente na derme), mas esta técnica já é assunto para outro texto… É importante ressaltar que todos estes procedimentos devem ser realizados por profissional habilitado!

Veja também como sua dieta influencia a hidratação da pele neste outro texto!

 

Referências

DRAELOS, Z. Aquaporins: An introduction to a key fator in the mechanism of skin hydratation. Clin and Aesthetic Dermatol, v. 5, p. 53-56, 2012.

LAURINO, C.; PALMIERI, B.; COACCI, A. Efficacy, Safety, and Tolerance of a New Injection Technique for High- and Low- Molecular Weight Hyaluronic Acid Hybrid Complexes. ePlasty, v. 15, p. 427-437, 2015.

HACHEM, J. P. et al. Acute Acidification of Stratum Corneum Membrane Domains Using Polyhydroxyl Acids Improves Lipid Processing and Inhibits Degradation of Corneodesmosomes. J Invest Dermatol, v. 130, n. 2, p. 500–510, 2010.

CLÁUDIO RIBEIRO. Hidratação cutânea. In: Cosmetologia Aplicada à Dermoestética. p.77-82. 2a. ed. Pharmabooks, 2010.

CLÁUDIO RIBEIRO. Esfoliação química e física da pele. In: Cosmetologia Aplicada à Dermoestética. p. 261-267. 2a. ed. Pharmabooks, 2010.

Skinbooster restylane e restylane vital. Acesso em 04/02/2018.

Bianca Stocco

Bianca Stocco

Redatora
Biomédica pelo Centro Universitário Barão de Mauá. Mestre e Doutora em Ciências pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo. Pós – graduada em Biomedicina Estética pela Fatesa (Faculdade de Tecnologia em Saúde de Ribeirão Preto). Tem experiência na área de pesquisa e desenvolvimento de ativos e formulações cosméticas para pele e em procedimentos estéticos faciais, corporais e capilares.

Todos os textos

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ESTOU PROCURANDO POR

ANÚNCIO

ANÚNCIO

ANÚNCIO

ANÚNCIO

ANÚNCIO

ANÚNCIO

ANÚNCIO