ANÚNCIO

Você sabe o que é um ativo queratolítico e para que servem esses ingredientes? Com a vasta gama de produtos e ativos que são comercializados, às vezes fica difícil identificar qual a função de cada ativo que está contido naquela formulação.

Cada creme, cosmético, produto é formulado de forma a atender uma função específica, que podem ser cremes de tratamento, produtos para alguma condição específica da pele, como acnes, rugas, verrugas, manchas entre outras. E claro, para cada produto são utilizados ingredientes ativos determinados, que são os responsáveis por conferir a função daquele cosmético.

Massagem com creme de ureia nos pés para ação queratolítica.
Foto: @elenavolf via Twenty20

Tendo em vista que cada ingrediente ativo apresenta uma função na pele, a seguir será abordada uma função que os ativos podem apresentar, a qual é muito importante no tratamento de lesões cutâneas: os queratolíticos.

O que é um ativo queratolítico?

São os chamados ativos queratolíticos. Esse tipo de substância é conhecida como esfoliante ou descamante. Os queratolíticos atuam sobre a queratina da pele, eles têm a capacidade de diminuir a coesão dos corneócitos proporcionando uma descamação e dissolução da camada córnea, reduzindo assim sua espessura e estimulando a regeneração epidermal através da esfoliação. Produtos queratolíticos são usados para tratamento de lesões cutâneas em que a epiderme produz pele em excesso, como no caso de verrugas, acnes, calos e cicatrizes.

ANÚNCIO

Dependendo da concentração utilizada, esses ativos podem apresentar diferentes ações na pele. Alguns queratolíticos quando usados em concentrações menores podem apresentar a função de queratoplásticos. Os queratoplásticos têm como característica o estímulo da queratinização epidermal, eles auxiliam na mitose e na atividade celular promovendo a renovação e regeneração da camada córnea.

Ativos queratolíticos são usados em diferentes concentrações, sendo encontrados em produtos cosméticos, para prevenção de rugas e sinais de idade, para uniformizar a pele e poros; em medicamentos, para tratamento de acnes, verrugas e doenças cutâneas; e em concentrações mais altas nos peelings químicos, para tratamentos mais invasivos e profundos.

Alfa-hidroxiácidos (AHA) são queratolíticos

Alguns ativos queratolíticos muito utilizados nos produtos de cuidados com a pele são os ácidos. Os alfa-hidróxiácidos (AHA) têm efeito no processo de queratinização, tendo ação na formação de um novo estrato córneo, sendo considerados queratolíticos uma vez que agem diminuindo a coesão dos corneócitos.

De acordo com a ANVISA, o uso de AHA e seus derivados em cosméticos deverá ter sua concentração máxima limitada a 10%, na sua forma ácida e com pH maior ou igual a 3,5. Os AHA também são muito utilizados em peelings químicos que atingem camadas mais profundas da pele, nesses casos são usadas concentrações mais altas de AHA, aplicados somente por profissionais habilitados.

Dentre os AHA mais utilizados como queratolíticos podemos citar:

Ácido Glicólico (Glycolic Acid)

É um dos AHA mais utilizados em cosméticos. É um agente hidrofílico, aumenta a hidratação e elasticidade da pele. Auxilia na redução de rugas e proporciona leve esfoliação eliminando células mortas da pele, estimulando a renovação cutânea.

Concentração: Permitido até 10% em cosméticos. Nessa concentração o ácido glicólico também tem ação anti-inflamatória. Para peelings químicos são utilizadas concentrações maiores que 10%. Altas concentrações devem ser ministradas com cautela apenas por profissionais habilitados, como farmacêuticos, esteticistas e médicos, pois nesse caso o ácido glicólico se torna fototóxico, irritante e gera descamação cutânea. De acordo com a FDA, a concentração de ácido glicólico em peelings varia de 20% a 70%.

Ácido Lático (Lactic Acid)

Proporciona leve esfoliação, hidratação e atuação nas rugas. Tem potencial anti-inflamatório e é capaz de inibir a proliferação excessiva de queratinócitos. É um ácido presente na microbiota cutânea tornando-o menos irritante.

Concentração: Permitido até 10% em cosméticos.

Ácido Málico (Malic Acid)

Diminui a pigmentação da pele e linhas finas, aumenta a firmeza da pele. Esse AHA possui propriedades antiproliferativas das células epidermais. Alguns testes indicam que o ácido málico pode apresentar  potencial de irritabilidade, mas conforme o pH do produto final aumenta, menos potencial de irritação é observado.

Concentração: Permitido até 10% em cosméticos.

Ácido Tartárico (Tartaric Acid)

É o ácido encontrado na uva e obtido através da fermentação. Na pele, ele é capaz de induzir a renovação celular, regular a oleosidade da pele, além de possuir ação anti-inflamatória. Tem a capacidade de permear nos poros ajudando na remoção da camada queratinizada.

Concentração: Permitido até 10% em cosméticos.

Esses são alguns dos alfa-hidróxiácidos mais utilizados nos produtos de cuidados pessoais, sendo que a ação desses ativos varia conforme a concentração usada.

Existem outros ativos queratolíticos muito utilizados, além dos AHA.

Foto: Prostock-studio.

Outros ativos queratolíticos além dos AHA

Ácido Salicílico (Salicylic Acid)

É um beta-hidróxiácido que tem propriedades queratolíticas e antimicrobianas. Dissolve formações de queratina, afinando a camada córnea, reduz calosidades e cicatrizes, tem ação anti-inflamatória e reguladora de oleosidade sendo um ativo muito usado em peelings e tratamento de acnes, devido ao seu potencial antimicrobiano.

Concentração: De acordo com a ANVISA, o ácido salicílico é uma substância proibida nos cosméticos em concentrações maiores que 2%. Produtos com concentrações maiores que essa são considerados medicamentos, como no caso dos produtos para verrugas. Em concentrações até 2% o ácido salicílico tem ação queratoplástica, acima de 2% sua ação passa a ser queratolítica. Quando usado entre 10% a 20%, possui ação queratolítica forte, indicado nos tratamentos de hiperqueratoses como calos e verrugas, e nos peelings químicos.

Ácido Retinóico (Retinoic Acid)

É a forma oxidada da vitamina A. Regula a produção das glândulas sebáceas, elimina a coesão dos queratinócitos evitando hiperqueratoses e formação de comedões e acnes.

Concentração: É um ativo proibido em cosméticos de acordo com a ANVISA. No entanto pode ser utilizado em peelings químicos invasivos sob prescrição médica. De acordo com a FDA, o ácido retinóico é utilizado como medicamento tópico em concentrações de 0,05% a 0,1%, prescrito para tratamentos de acne, anti-idade, e desordens cutâneas para pessoas com mais de 30 anos.

Retinol

É um dos derivados da vitamina A, na forma de álcool. O retinol é a forma estável da vitamina, sendo mais suave e menos irritante que o ácido retinóico em sua ação. É um dos “queridinhos” do momento quando se trata de antienvelhecimento. Entre suas propriedades estão a renovação celular, recuperação da textura da pele e ação na redução de rugas profundas. Estudos mostram que o retinol é capaz de estimular a síntese de procolágeno em peles maduras, melhorando a elasticidade, firmeza e textura da pele. O uso de retinol pode causar certa vermelhidão e ressecamento na pele, mas não foram observados efeitos adversos severos. É indicado o uso noturno, pois pode reagir com a radiação solar.

Concentração: No Brasil a concentração máxima permitida pela ANVISA para o uso de retinol em cosméticos é de 0,3%. Já nos Estados Unidos, os dados da FDA indicam que o retinol pode ser encontrado em cosméticos nas concentrações de <0,1% até 2%.

Peróxido de Benzoila (Benzoyl Peroxide)

Ação esfoliante, anti-inflamatória e antibacteriana. Impede o crescimento da bactéria Propionibacterium acnes. É um ativo bastante utilizado nos medicamentos para acne.

Concentração: Ativo proibido em cosméticos. Em medicamentos sua concentração varia de 2,5% a 10%.

Ureia (Urea)

A ureia é um hidratante, antibacteriano e queratolítico de zonas espessas, que reduz calosidades e cicatrizes. É muito usada no tratamento de estrias e em cremes hidratantes.

Concentração: Máxima de 3% em produtos cosméticos grau 1 e concentração entre 3% a 10% em produtos cosméticos de grau 2. Em medicamentos, é possível encontrar concentrações maiores.

Foto: kiraliffe.

Esses são alguns dos ativos queratolíticos mais encontrados e utilizados tanto nos produtos cosméticos e medicamentos quanto nos peelings químicos invasivos.

Vale ressaltar que a concentração de cada ativo na formulação irá definir sua ação. Nos cosméticos, esses ativos possuem concentrações mais baixas, seguindo as recomendações dos órgãos vigentes, que proporcionam um poder queratolítico menor e podem ser encontrados facilmente nas perfumarias e farmácias. Em medicamentos, a concentração pode variar de acordo com a prescrição médica ou dependendo do tipo de tratamento. Já nos peelings químicos, são utilizadas concentrações elevadas que possibilitam uma ação queratolítica mais alta e mais agressiva, uma vez que atingem camadas mais profundas da pele, sendo prescritos e executados apenas por profissionais habilitados.

Lembre-se sempre de não se expor ao sol e utilizar protetor solar durante o tratamento com ativos queratolíticos. Manter a pele hidratada também é importante, uma vez que muitos desses ativos ocasionam o ressecamento da pele. Busque sempre orientações com seu médico de confiança para um tratamento adequado!

REFERÊNCIAS

ANVISA. AGENCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Utilização de Alfa-hidroxiácidos em produtos cosméticos- Parecer Técnico CATEC nº 4, de 28 de Setembro de 2001.

ANVISA. AGENCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Utilização da Uréia em produtos cosméticos- Parecer Técnico CATEC nº 7, de 21 de Outubro de 2005.

ANVISA. AGENCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Utilização de Retinóides em produtos cosméticos- Parecer Técnico CATEC nº 4, de 21 de Dezembro de 2010.

ANVISA. AGENCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Resolução da diretoria colegiada- RDC nº 3, de 20 de Janeiro de 2012.

ANVISA. AGENCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Resolução da diretoria colegiada- RDC nº 83, de 17 de Junho de 2016.

ANVISA. AGENCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Resolução da diretoria colegiada- RDC nº 107, de 5 de Setembro de 2016.

FDA. FOOD AND DRUG ADMINISTRATION. Pharmacy Compounding Advisory Committee Meeting, 3 de Novembro de 2016.

KAFI, R.; KWAK, H.S.R.; SCHUMACHER, W.E. et al. Improvement of Naturally Aged Skin With Vitamin A (Retinol). Arch Dermatol. 2007;143(5):606–612.

TANG, S.C.; YANG, J.H. Dual Effects of Alpha-Hydroxy Acids on the Skin. Molecules. 2018, 23, 863.

ANÚNCIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui