Sinergia entre matérias-primas

ANÚNCIO

Quando olhamos para os rótulos dos produtos para linha skin care vemos os mais variados apelos (claim) desde os mais simples até os mais complicados que se tornam curiosidades aos olhos dos consumidores.

As formulações atuais tendem a trabalhar cada vez mais com tecnologias arrojadas e a expertise em matérias-primas de um modo geral é vital para que seja um produto mais com menos, veja mais sobre o tema aqui.

Frutas vermelhas são ricas em vitaminas e antioxidantes
Vitaminas são ingredientes que agem de forma sinérgica.
Foto: jcstudio / Freepik

A pergunta é: os ingredientes ativos atuam sozinhos?

O ativo sozinho tem ação diferente quando utilizado em sinergia com outro ativo ou matéria-prima responsável por mantê-lo estável durante o tempo de vida útil do produto final.

A palavra sinergia advém de cooperação, coesão, trabalho ou associação, ou seja, aquilo que impulsiona, mantém seguro, ou melhor falando, “a união faz a força”.

Estes boosters de ativos e formulação como um todo, podem ser originários de diversas fontes e uma das matérias-primas mais conhecidas com essa função é a Vitamina E (INCI: Tocopheryl Acetate). Eles atuam como um antioxidante para uso em produtos cosméticos tanto como para pele quanto para o cabelo.

Na pele tem função de proteção das células contra radicais livres e evita a peroxidação de gorduras corporais. É também um hidratante e melhora a elasticidade e suavidade da pele, adequado para utilização em produtos de proteção solar e produtos para cuidado pessoal como um todo. Um estudo nos mostrou a ação sinérgica entre a Vitamina C se utilizada sozinha em determinada concentração a inibição de oxidação é de 14% e a Vitamina E, 10%.

Se utilizadas em conjunto, a inibição da oxidação é superior à 30%, o qual comprova a ação sinérgica entre as duas matérias-primas, onde temos um efeito muito mais elevado comparado com os compostos isolados. Os compostos com ácido ascórbico em forma de sais, tais como Ascorbil Acetato de Magnésio (INCI: Magnesium Ascorbyl Acetate) ou Ascorbil Fosfato de Sódio (INCI: Sodium Ascorbyl Phosphate) auxiliam na farmacotécnica, aumentam a estabilidade da formulação e mantém resultados até a data de validade.

ANÚNCIO

Além do sensorial podemos utilizar também destes sinergismos em produtos para linha de proteção solar com a utilização de alguns ésteres devido à sua versatilidade em solubilizar ativos UV, dispersar pigmentos e ajustar propriedades de espalhabilidade.

Em fotoprotetores, a absorbância, item que mede a capacidade do protetor solar absorver radiações em frequências específicas, pode ser incrementada com a adição de ésteres em composições de fotoprotetores. A dispersibilidade do protetor solar é definida pela velocidade que ele pode cobrir uma determinada superfície da pele, portanto a solubilização otimizada dos ativos UV em ésteres resultam num produto final mais eficaz e além de outros produtos como formadores de filmes que aumentam a adesão à pele.

A pré-formulação de quaisquer produtos é indispensável para um desenvolvimento, ainda mais quando resultados comprometem os apelos citados no rótulo e o consumidor atual sabe diferenciar o que cumpre e o que somente promete.

Referências
Vitamine E Acetate, Basf
Burke, K.E. Interaction of vitamins C and E as better cosmeceuticals. Dermatol Ther. 2007 Sep-Oct;20(5):314-21.
MERLAUD Fabien at al. How synergistic properties of cosmetic emollients improve SPF and texture in suncare products.
SHATH, N. A. SPF Boosters & Photostability of Ultraviolet Filters. Happi Magazine.
L’ALLORET, F. et al. New Combination of Ultraviolet Absorbers in an Oily Emollient Increases Sunscreen Efficacy and Photostability. Dermatol Ther (2012) 2:4

ANÚNCIO

ANÚNCIO

Comentários estão fechados.