Um dos produtos cosméticos que mais se diversificou ao longo dos últimos anos foi o esmalte. Algumas razões para isso podem ser apontadas, tais como baixo custo, marcas que só estavam disponíveis em salões chiques passaram a ser vendidas para consumidores individuais, inovações em categorias de esmaltes (como os esmaltes em spray) e em artes para unhas, além da conveniência (não é preciso ser aplicado todos os dias) dos esmaltes. Estes fatores são também responsáveis pela expansão do mercado consumidor destes produtos.

A questão é: a tecnologia utilizada na produção de esmaltes permanece sem grandes alterações há 70 anos! Então, se todos os esmaltes são iguais, por que você escolhe um em detrimento de uma infinidade de outras opções?

Qual desses esmaltes você escolheria?
Foto: Teeratas / FreeDigitalPhotos.net

Para responder a esta questão, um grupo de pesquisadores em assuntos sensoriais da Universidade do Estado do Kansas decidiu pesquisar quais são os fatores sensoriais que influenciam o público feminino em relação à aceitação de esmaltes.

A fim de alcançar este objetivo, o estudo contou com a colaboração de 98 mulheres (com mais de 18 anos e que fazem uso de esmaltes nas unhas das mãos com frequência maior que uma vez a cada três meses), que avaliaram oito produtos comerciais diferentes: dois esmaltes regulares, dois esmaltes em gel, dois esmaltes com brilho e dois esmaltes à base de água.

Esmaltes em gel são mais duráveis e permanecem nas unhas por mais tempo se comparados aos esmaltes regulares. Já os esmaltes com glitter adicionam textura ao esmalte regular. Por fim, os esmaltes à base de água foram desenvolvidos para serem comercializados como produtos menos tóxicos e, portanto, dotados de certa preocupação ambiental. Além destes utilizados no estudo, muitos outros existem, tais como: esmaltes “nutritivos”, de camada única, com texturas diferenciadas e até mesmo os que mudam de cor.

Os esmaltes escolhidos foram avaliados de duas formas:

  1. Aplicação: as mulheres foram convidadas a aplicar os esmaltes à sua maneira em unhas artificiais e a observá-las e
  2. Observação: as mulheres deveriam apenas observar as unhas artificiais onde os esmaltes já haviam sido aplicados por pesquisadores de acordo com um procedimento padrão.

O teste de aplicação avaliou a percepção de aroma, facilidade de aplicação e aparência, além da aceitação geral da participante (avaliada em escala hedônica em que 0 = não gostou ao extremo, 5 = não gostou, nem desgostou e 9 = gostou ao extremo). Avaliou-se também a reação imediata da consumidora ao produto, variando-se as opções de resposta desde reação extremamente negativa até reação extremamente positiva.

O teste de observação avaliou a aceitação geral da participante, assim como no teste anterior, e também seu interesse em fazer uso daquele esmalte em questão. Neste caso, a escala utilizada para resposta variou desde uma reação extremamente desinteressada até uma reação extremamente interessada.

Muitos (leia-se M-U-I-T-O-S) testes estatísticos foram feitos, mas não vamos entrar no mérito desta questão, pois todos queremos logo saber por que afinal nos interessamos por certos esmaltes, não é mesmo?!

Pois bem: o estudo apontou que o aroma não é um fator relevante para esta escolha, mas a aparência e a textura sim! E o que isso significa? Que as empresas que produzem esmaltes devem focar em inovação na aparência e/ou na textura dos seus esmaltes para nos agradar!!!

Além disso, os pesquisadores encontraram, dentre seu grupo de participantes, quatro grupos com gostos distintos. São eles:

  1. Consumidoras que valorizam o brilho: pessoas que gostam do efeito espelhado ou cintilante dos esmaltes. Assim “brilhante” ou “perolado” são apelos que atraem sua atenção.
  2. Consumidoras que valorizam a aplicação e a cobertura: são pessoas que se sentem atraídas por atributos como suavidade, espalhabilidade, aparência de água, cobertura, opacidade. Esmaltes brilhantes ou com textura não atrairiam sua atenção.
  3. Consumidoras mais críticas: não gostam de bolhas, marcas de pincel, etc. Para atraí-las, a empresa que produz esmaltes deveria minimizar estes efeitos e focar na qualidade de seus produtos. Por fim,
  4. Consumidoras discretas e tolerantes: que não são atraídas por esmaltes com texturas diferenciadas, mas que são capazes de não se importar com alguns pequenos defeitos, tais como marcas de pincel.

Baseando-se na aceitação de diferentes categorias de esmaltes, o grupo de pesquisa encontrou estes quatro grupos de consumidoras em potencial no público do Kansas. É válido salientar que esta generalização não se estende para pessoas fora deste domínio. Mas será que você se encaixaria em algum destes grupos?

Este estudo satisfaz não apenas a nossa curiosidade enquanto consumidores, mas aponta estratégias específicas para que as empresas promovam seus produtos de acordo com a aceitação do seu púbico alvo. Ou seja, o tipo de consumidor de interesse pode ter seu comportamento estudado com auxílio da análise sensorial a fim de que se apontem melhorias para os produtos e assim os consumidores terão seus desejos e expectativas atendidos ou até mesmo superados. Consumidores satisfeitos, empresas satisfeitas. Temos um final feliz.

Fonte:
SUN, C.; KOPPEL, K.; ADHIKARI, K. Sensory factors affecting female consumers’ acceptability of nail polish. International journal of cosmetic science, v. 37, n. 6, p. 642-650, 2015.